Respeite as emoções do seu filho!

Tania Rubim

Respeite as emoções do seu filho!

Olá queridas tudo bem? Vamos refletir se temos de facto estado atentas a essas emoções e as valorizado. Como vai a saúde emocional do seu filho (a). Vamos começar refletindo sobre três razões por que os pais devem se preocupar em criar um filho(a) emocionalmente saudável:

1) Nossas emoções determinam a qualidade e o significado da nossa vida.

2) Nossas emoções influenciam cada parte da nossa vida.

3) Nossas emoções ajudam-nos a definir nossos valores.

Portanto, podemos afirmar que o sucesso ou o fracasso na vida depende do nosso estado emocional.

E com as crianças não é diferente, não sabendo elas ainda bem fazer a separação da razão e da emoção.

Os pais devem lembrar-se de que o sentimento está sempre vinculado ao valor que damos às coisas ou às pessoas. Aquilo que para os pais não significa muito, para o filho pode ter um valor especial. Por exemplo, uma conversa, um amigo, um animal de estimação, uma bicicleta, um brinquedo, um passeio que não deu certo, tudo isso pode ter muito valor para um filho. Os pais que exercem sua missão com essa consciência nunca brincam com as lágrimas do filho. Já vi meninos e meninas a chorar intensamente pela morte de um cão que foi atropelado; outros, por causa de uma bola que desapareceu e outros, por causa de uma pipa que escapou da linha e foi levada pelo vento. Como os pais devem reagir diante das lágrimas do filho que chora por algo que, na concepção do adulto, pode ser “banal”? Nunca obriguem os seus filhos a reprimir suas emoções, “engolindo” o choro e menosprezando seus sentimentos. Desqualificar as emoções de um filho pode provocar um trauma, fazendo com que ele se feche e nunca mais demonstre seus sentimentos. Essa é uma das causas por que muitos adultos têm dificuldade de expressar suas emoções. Você respeita os sentimentos do seu filho?

Já vi pessoas que conseguem enxergar todos os sentimentos e expressões nos filhos dos outros, mas nos seus filhos nunca vêm nada. Cuidado com suas reações as crianças são todas diferentes, e o que para uma pode não fazer diferença nenhuma, para outra pode fazer toda a diferença.

Seja sensível para entender cada um segundo a sua necessidade e deixe a criança ser quem ela é. Não reprima seu filho (a), mais cedo ou mais tarde vai se arrepender pois a seu tempo vai-se revelar um comportamento totalmente oposto ao que você desejaria.

Nunca devemos ridicularizar as crianças, ao ponto de fazê-las pensar que o que disseram ou fizeram não tem valor nenhum, você agindo dessa forma está a contribuir para um adulto inseguro e fechado.

Por isso muitos pensam que um bom comportamento é a criança ser muito quieta e sossegada, quando geralmente esse tipo de comportamento vem de crianças oprimidas ou reprimidas.

Claro não são todas, mas você deve-se analisar que tipo de mãe tem sido ao ponto de não deixar seu filho ser quem realmente ele é, ou deseja ser.

E serve também para quem não é mãe, mas trabalha com crianças, pois devemos saber lidar com todas elas, as valorizando, as amando, as fazendo sentir as crianças mais especiais deste mundo.

Se passou por alguma experiência ou lhe ajudou deixe aqui seu comentário.

Bjs doces

Meu nome é Cátia Rubim estou casada há 19 anos, com um homem temente a Deus e muito meu amigo. Servimos a Deus no atrio como obreiros. Amo as coisas de Deus e elas fazem parte principal do meu cotidiano, sou uma pessoa expontânea e decidida, tenho um filho fruto de um milagre em nossas vidas. Meu testemunho de vida tem edificado muitas pessoas e servido de inspiração para quem está passando por vales por mim conhecidos. Estou aqui para compartilhar isso com todas vocês.


Comments (3)
  • Avatar

    Milaine Jul 13 2016 - 6:43 am Reply

    Muito interessante esse post, me lembrei imediatamente quando era criança, nao tenho filhos,mas cuido de crianças. Me lembro que uma vez ,tinha um gatinho filhotinho, eu desci as escadas correndo e ele pulava em minhas pernas , brincando..mas teve um dia que pisei em cima dele e ele começou a se debater,e morreu. Eu chorei por 3 dias. Outra situaçao ,eu atravessava a rua e meu cachorro atras correndo,e foi atropelado por uma moto,que quebrou sua coluna,me sentia muito culpada. E como a sra disse cresci reprimida e uma criança calada, pois minha familia nao tinha a Sabedoria de Deus pra lidar com isso, e eu tinha que engolir o choro,esconder e sufocar meu sentimento como se nada divesse acontecido, se assim nao fizesse ,levava uma surra. Cresci com traumas,medo de falar com as pessoas,foi muito dificil. Graças a Deus pude ter a experiencia de encontrar a Deus e receber Seu Espirito. Ele foi me ajudando e me transformando de dentro pra fora…

  • Avatar

    Magda sacaia Jul 23 2016 - 7:33 am Reply

    Bem é sempre bom valorizar os sentimentos dos outros porque não sabemos oque eles estão a passar.

  • Avatar

    natália ameida Jul 27 2016 - 6:42 am Reply

    nossa que bacana mim ajudou bastante

Leave a reply

Name (required)

Website