Minha historia 13 – “A maravilhosa e grata noticia”

Tania Rubim

Minha historia 13 – “A maravilhosa e grata noticia”

Como lhes contei no post anterior eu havia recebido o Espirito Santo e estava lutando para ser obreira. Não era fácil ser colocada na obra de Deus, nós tínhamos que provar que realmente queríamos isso. Não era uma brincadeira ou um simples desejo momentâneo, era algo serio e eu tinha consciência disso.

Em Fevereiro de 1994 fui levantada obreira. Como era consciente da grande responsabilidade que recebi eu tive que falar com o meu pai. Embora tivesse 18 anos na época, eu vivia com meus pais e lhes devia respeito e obediência, teria que comunicar minha decisão. Eu orei antes de conversar com ele e certo dia que ele foi-me levar na escola, aproveitei que estávamos sozinhos e lhe disse: “pai eu vou ser obreira da igreja”. Como ele não ia na igreja não sabia o que isso significava, então lhe expliquei: “eu vou ajudar nas reuniões e terei que participar de todas as vigílias pois assumi essa responsabilidade e não vou falhar”. Prontamente ele me respondeu: “se isso não for atrapalhar seus estudos, tudo bem.” Que alivio senti, Deus preparou tudo!

Eu gostava muito de atender e evangelizar. Me recordo que ia no hospital de AIDS orar pelos doentes, ia nas casas resgatar aqueles que se haviam afastado da igreja, evangelizávamos também nas ruas, no ônibus, de casa em casa e nos asilos. A igreja também tinha um trabalho forte de obra social, distribuía roupas e alimentos e nós sempre ajudávamos.

O pastor sempre nos ensinava que tínhamos que chorar pelas almas e o nosso amor por elas aumentaria e eu fazia isso.

Aos domingos pela tarde eu não saía com o Joaquim, eu sempre ia evangelizar, ele me levava na igreja e dizia que me esperava no carro. No entanto isso nunca acontecia, o Espirito Santo sempre o incomodava e ele acabava por sempre ir evangelizar também. Logo depois na semana do Espirito Santo ele foi batizado e em Abril foi levantado a obreiro.

Eu estava muito feliz e agradecida com Deus, os dois estávamos na mesma fé e servindo a Deus.

Nosso tempo livre era dedicado à igreja, nos sentíamos realizados ajudando as pessoas. Ele era um obreiro abençoado, logo recebeu responsabilidades na obra e isso me deixava muito feliz.

Embora muitos na igreja soubessem que namorávamos, pois já chegamos na igreja sendo namorados, nós mantínhamos a discrição.

Não andávamos de mãos dadas dentro da igreja, nem ficávamos de conversinha, e por isso nosso namoro sempre foi respeitado.

Nunca fomos chamados a atenção por agir de forma inadequada, pois sempre cuidamos para dar um bom testemunho e agradar a Deus com o nosso namoro.

Nosso prazer em servir era verdadeiro e eu não me imaginava mais fazendo qualquer outra coisa, Deus havia me chamado.

E você tem o desejo de ser útil na obra de Deus? Que pensa fazer em favor dos que sofrem?

No próximo post contarei de uma situação embaraçosa que vivi. Aguardem!

Leia aqui os posts anteriores.

 

 

 

Autora do livro "Escolhida para o Altar". Faço a obra de Deus no Altar por 20 anos, espero através do blog ajudá-las, dividindo com vocês experiências e aprendizados.


Comments (5)
  • Avatar

    Cidalia - France Sep 30 2017 - 12:57 am Reply

    Querida , sim, você era tudo o que escreveu ; por prova disso , você foi a pessoa com quem me senti en confiança para pedir conselho quando cheguei à Igreja .
    Nao imaginava eu que você tinha sido levantada obreira à pouco tempo .
    Mas quando existe a Unçao, que importa o tempo e a idade , o Espirito Santo faz a Obra na vida de quem se dispoe para Ele.
    Um abraço grande ,
    Cidalia

    • Avatar

      Tânia Oct 2 2017 - 9:31 am Reply

      Querida Cidalia quantas saudades! É verdade, sem Ele não teriamos capacidade alguma de realizar a Sua obra. Deus a abençoe, muitos beijos!

  • Avatar

    Felícia Soares Oct 1 2017 - 1:51 pm Reply

    Dona Tânia, seus Posts sempre me abençoam, irei aguardar o próximo. Deus lhe abençoe ❤

  • Avatar

    Amanda Oct 7 2017 - 12:13 am Reply

    Dn tania. Sou onreira também, meu desejo foi e sempre vai ser em ajudar as almas, nao penso em nada se nao for em poder ser util em ganhar muuitas almas. Mas tenho tido pensamentos a respeito da obra, sou obreira a 2 anos, nao tenho o dom de línguas ainda, e nao sei se isso pode me atrapalhar la na frente para poder servir mais.eu nao tenho nenhuma duvida do meu batismo, mas é que nao sei se devo confiar e esperar que o próprio Deus me dê esse dom no tempo dele. Ou se cobro Dele esse dom. O que faço? Obrigada desde já .

  • Avatar

    Andreia Galde Oct 15 2017 - 8:04 pm Reply

    No aguardo do próximo post

Leave a reply

Name (required)

Website